Disponível em <https://portal.creaes.org.br/23-de-maio-dia-do-solo-espirito-santense/>.
Acesso em 24/06/2024 às 16h06.

23 de maio, Dia do Solo Espírito-Santense

Herança colonial se mantém presente no Espírito Santo

23 de maio de 2024, às 11h55 - Tempo de leitura aproximado: 2 minutos

Herança colonial se mantém presente no Espírito Santo

No dia 23 de maio de 2024, o Espírito Santo completa 489 anos de colonização Europeia. A data, conhecida como Dia da Colonização do Solo Espírito-Santense, faz referência ao ano de 1535, quando portugueses a bordo da caravela “Glória” desembarcaram na região da Prainha, em Vila Velha, com a missão de colonizar a então capitania do Espírito Santo.

Traços e registros importantes da Engenharia, da Agronomia e das Geociências referentes a este período histórico reverberam até os dias atuais nas estruturas das cidades do Espírito Santo. A formação do povo capixaba foi originada pelos colonos europeus e seus descendentes, que estabeleceram numerosas povoações no interior do estado, transformando muitas dessas regiões em municípios.

A riqueza da engenharia do período colonial tem forte representação nos sítios históricos, nos típicos casarios e no importante acervo de construções ecléticas, enriquecidas por ornamentos, pinturas decorativas, materiais e técnicas construtivas do final do século XIX e início do século XX. Vilas inteiras foram construídas e obras importantes foram erguidas, como inúmeras igrejas e, em especial, o principal símbolo religioso do Estado: o Convento da Penha, até hoje o monumento mais popular do estado.

Na Agronomia, o início do cultivo das terras fomentou a agricultura e a produtividade. Destaca-se no período, a construção dos primeiros engenhos de açúcar, principal produto da economia por três séculos, sendo substituído apenas em 1850, pelo café. E, a partir da chegada dos imigrantes, no século XIX, o Espírito Santo também ganhou nova configuração geográfica. As barreiras naturais apresentadas, principalmente pela Mata Atlântica, foram rompidas e, o interior, sobretudo o norte do Estado, até então intocado, recebeu novos habitantes.

A Colonização do Solo Espírito-Santense retrata o início dessa história que ainda guarda marcas das influências destes povos. Uma história construída pelos imigrantes de diversas partes da Europa, junto com os africanos e os indígenas, aqui já residentes. Por meio dessa união de culturas e dessa herança do período colonial, construímos a configuração que temos hoje no Espírito Santo.

Fonte de base: https://www.es.gov.br/historia/colonizacao


Comentários

Nenhum comentário.

Deixe um comentário

Comentários com palavras de baixo calão ou que difamem a imagem do Conselho não serão aceitos.

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *