Disponível em <https://portal.creaes.org.br/crea-es-autua-supermercado-em-vila-velha-por-exercicio-ilegal-da-profissao-apos-desabamento-parcial-da-estrutura-do-imovel/>.
Acesso em 27/02/2024 às 16h43.

Crea-ES autua supermercado em Vila Velha por exercício ilegal da profissão após desabamento parcial da estrutura do imóvel

23 de janeiro de 2024, às 19h14 - Tempo de leitura aproximado: 1 minuto

O Conselho Regional de Engenharia e Agronomia do Espírito Santo (Crea-ES) autuou nesta terça-feira (23/1) um supermercado localizado no bairro Paul, em Vila Velha, por exercício ilegal da profissão. A autuação ocorreu após vistorias fiscal e técnica realizada por engenheiros e fiscais do Conselho, que identificaram irregularidades estruturais significativas.

A ocorrência foi registrada após parte do teto do supermercado desabar, uma situação que motivou a rápida ação do Conselho. Durante a vistoria, foi constatado que o telhado do imóvel estava passando por uma reforma para a substituição das telhas, especialmente devido às fortes chuvas recentes que atingiram a região.

Giuliano Battisti, engenheiro civil, ambiental e de segurança do trabalho, que participou da ação, destacou as graves falhas estruturais: “Os levantamentos prévios apontam a ausência de vigas e pilares que seriam fundamentais para garantir a estrutura do telhado. Além disso, a estrutura metálica estava visivelmente corroída e não apresentava sinais de manutenção recente, o que agrava a situação.”

Foram emitidos dois autos de infração pelo Crea-ES. O primeiro, relacionado ao exercício ilegal da profissão por ausência de Anotação de Responsabilidade Técnica (ART) para a reforma do telhado – fator determinante para o acidente. O segundo auto foi emitido pela substituição de máquinas de climatização realizada há poucos meses, que também não possuía a odevida ART, uma irregularidade adicional constatada durante a ação.

O engenheiro Jorge Silva, presidente do Crea-ES, enfatizou a importância da presença da instituição e a necessidade da conformidade legal das estruturas de engenharia: “Este caso ressalta a necessidade da presença e participação de engenheiros responsáveis tanto para novos empreendimentos quanto para reformas dos já existentes. O Conselho agiu prontamente diante desta situação crítica, reafirmando o compromisso com a segurança e a legalidade nas construções e reformas em nosso estado.”

O caso agora segue para análise e o Crea-ES mantém seu foco na fiscalização e garantia da segurança e da legalidade nas práticas de engenharia em todo o Espírito Santo.


Comentários

Nenhum comentário.

Deixe um comentário

Comentários com palavras de baixo calão ou que difamem a imagem do Conselho não serão aceitos.

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *