Disponível em <https://portal.creaes.org.br/crea-es-identifica-estrutura-danificada-por-cupins-em-escola-de-vitoria/>.
Acesso em 25/05/2024 às 11h46.

Crea-ES identifica estrutura danificada por cupins em escola de Vitória

19 de abril de 2024, às 17h39 - Tempo de leitura aproximado: 2 minutos

A principal causa da queda do piso de uma das salas dos prédios do Centro Educacional Primeiro Mundo, localizado no bairro Santa Lúcia, em Vitória, foi a deterioração da estrutura do painel wall do mezanino, resultado da ação de cupins na camada de madeira que constitui a placa do sistema construtivo.

A identificação foi realizada nesta sexta-feira (19/4), após vistoria técnica e ação fiscal do Conselho Regional de Engenharia e Agronomia do Espírito Santo (Crea-ES) na instituição de ensino. As equipes detectaram a presença de insetos no mezanino e a desintegração de partes da peça de madeira do painel, causada pela infestação de cupins que fragilizou, danificou e afetou a estabilidade do material, culminando no desabamento da estrutura.

O gerente de relacionamento institucional do Crea-ES, engenheiro civil, ambiental e de segurança do trabalho Giuliano Battisti, explica que o painel wall é composto por núcleo de madeira laminada e revestido em suas faces por placa cimentícia. Apesar de ser considerado um produto resistente, é necessário atentar para aspectos fundamentais na aquisição e na instalação desse produto.

“É importante exigir os manuais dos fornecedores desses materiais construtivos e verificar se constam nesses documentos informações sobre instalação e manutenção, se há resistência ao fogo e sua propagação, se possui indicações de que a madeira passou por tratamento anticupim e, principalmente, se as especificações e discriminações estão de acordo com as normas técnicas”, alertou Battisti lembrando, ainda, da importância de se observar, além da presença dos insetos, se há incidência de umidade, deformações ou sinais de trincas ou fissuras na superfície.

O Crea-ES recomendou aos proprietários da escola que providenciasse a elaboração de laudo técnico a ser realizado por profissional devidamente habilitado comprovando a estabilidade, a salubridade e a habitabilidade do imóvel. Orientou também o isolamento de todos os ambientes nos quais foi adotada a mesma metodologia construtiva até que os devidos reparos e substituições sejam realizados.

O presidente do Conselho engenheiro Jorge Silva informou que as orientações do Crea-ES aos responsáveis pela instituição de ensino são no sentido de garantir a segurança dos usuários do local. “Nossas equipes instruíram à escola para que sejam realizadas vistoria e perícia em todos os ambientes, com substituição, inclusive, de toda a estrutura feita com o mesmo método construtivo. Aconselhamos, ainda, que todas as placas sejam substituídas por materiais que atendam às normas técnicas aplicáveis”, disse.


Comentários

Nenhum comentário.

Deixe um comentário

Comentários com palavras de baixo calão ou que difamem a imagem do Conselho não serão aceitos.

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *