Disponível em <https://portal.creaes.org.br/crea-es-recebe-associacao-de-exportadores-de-pimenta-do-reino-para-tratar-da-competitividade-da-especiaria-no-mercado-externo/>.
Acesso em 24/06/2024 às 16h26.

Crea-ES recebe associação de exportadores de pimenta-do-reino para tratar da competitividade da especiaria no mercado externo

6 de junho de 2024, às 12h06 - Tempo de leitura aproximado: 1 minuto

Representantes da Brazilian Spice Association (BSA) estiveram reunidos no último dia 4 de junho com o presidente do Crea-ES, engenheiro agrônomo Jorge Silva, para solicitar o apoio do Conselho na implementação do Programa de Qualidade da Pimenta-do Reino e Especiarias no Espírito Santo.

O presidente Rolando Martins, o vice-presidente Frank Moro e o secretário executivo da associação Aureliano Nogueira da Costa apresentaram o projeto cujo propósito é melhorar a qualidade da cadeia produtiva da pimenta-do-reino para atender às exigências do mercado de exportação, que hoje sofre restrições quanto aos problemas com pesticida, a Antraquinona, Salmonela e Micotoxinas.

Os principais desafios enfrentados pelo setor são atender às exigências do mercado internacional quanto à qualidade da pimenta. “O Espírito Santo é hoje o maior produtor de pimenta-do-reino do Brasil. A pimenta-do-reino é a terceira pauta de exportação agrícola do Espírito Santo. Nós vamos produzir no biênio 2024-2025 cerca de 100 mil toneladas dessa especiaria. Desse total, 95% vai para a exportação. Temos hoje cerca de 70 mil pessoas trabalhando no campo em torno desse produto agrícola”, disse o presidente da BSA, Rolando Martins.

De acordo com Frank Moro, vice-presidente da BSA, o Brasil é o segundo maior produtor de pimenta-do-reino do mundo, perdendo apenas para o Vietnã, que ocupa a primeira posição. Apesar da cultura ser bem aceita no mundo, ele ressalta que hoje a cultura da especiaria passa por grandes problemas relacionados aos contaminantes químicos. Aureliano Nogueira da Costa, secretário executivo da associação, destacou o importante papel que o Crea-ES e a Sociedade Espíritossantense de Engenheiros Agrônomos (SEEA) possuem no sentido de incentivar a capacitação profissional e contribuir com recomendações de tecnologias para melhoria da qualidade da pimenta, cuja produção está ativa em 60% dos municípios capixabas.

O presidente do Crea-ES engenheiro Jorge Silva manifestou apoio ao documento dizendo que o Conselho irá apoiar o programa em favor do fortalecimento da cadeia produtiva da pimenta-do-reino, de maneira especial na promoção de cursos de capacitação no sentido de estimular as boas práticas de produção. “Vamos trabalhar para aumentar a competitividade dos exportadores, para que tenham um ambiente de negócios rentáveis, garantindo sua permanência na atividade”, disse Jorge Silva.


Comentários

Nenhum comentário.

Deixe um comentário

Comentários com palavras de baixo calão ou que difamem a imagem do Conselho não serão aceitos.

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *